quarta-feira, 16 de março de 2011

UMAS POUCAS PALAVRAS

O que dizer num momento como este? Nada do que eu escreva expressará minha preocupação, solidariedade e também admiração pelo modo como os nossos irmãos japoneses têm enfrentado esta tragédia. Mas, quis compartilhar com você um depoimento que me tocou profundamente...

Ontem pela manhã liguei a TV para ter notícias sobre o Japão e peguei um trecho do depoimento da brasileira Edinéia Kobayashi, residente em Tichigi Kem/Oyama Shi há 16 anos (Mais Você, Globo).

Fiquei comovida com seu relato, em especial quando ela afirmou que não pretende retornar ao Brasil, porque escolheu o Japão como seu país, pois lá sim pode-se educar um filho: "o modo que aqui, o país cria os seus filhos, forma gente assim respeitável, educada, compensa para quem tem filho viver aqui no país porque a criação infelizmente é diferente daí do Brasil".

Segundo ela, até mesmo saques, se vierem a acontecer, serão por iniciativa de estrangeiros, porque mesmo em estado de necessidade, a educação, a cultura local, os princípios e valores dos japoneses impedem-nos de ultrapassar "o limite do outro"...

(Confesso que gostaria, mas não tenho como discordar... Até porque, aqui mesmo, no meu microcosmo de condomínio de 3 casas testemunho cada situação, que não é digna sequer de ser comentada. E olhe que ninguém está em estado de necessidade - graças a Deus.)

Ao final, perguntada se tinha alguma mensagem para sua família no Brasil, Edinéia preferiu dirigir-se à "família do mundo", lembrando-nos de não viver o amanhã porque o que realmente importa é o presente, é a vida porque, numa hora como esta que estão vivendo, não interessa o que e o quanto se tem. "Nesse momento ele (o dinheiro) não serve pra nada, a vida acima de tudo!"

Que possamos ao menos aprender algo com toda esta tragédia.
Falar mais o que, não é?!
Fé, Paz, Coragem e Serenidade para todos nós. Beijo grande.

2 comentários:

  1. oi Amiga
    quanto tempo...
    fui ao Brasil por conta da doenca de mamae. voltei e 24 horas depois estava no hospital com a Isa que teve outra trombose no mesmo braco. foi pancada forte na cabeca. Duas de uma so vez.... agora estou com a cabeca mais no lugar e consigo meditar e ver a paz dentro de mim novamente. volto depois para falarmos com mais calma.
    bjs
    ana

    ResponderExcluir

Obrigada por sua atenção!
Deixe seu recadinho!
Lerei com o maior carinho...